Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Ivam Cabral
 Fernanda D´Umbra
 Mario Bortolotto
 Sergio S Coelho
 Jarbas Capusso
 Laerte Kessimos
 Nelson Peres
 Alberto Guzik
 Lenise Pinheiro e Nelson de Sá
 Cléo de Páris




TEATRO EXPANDIDO (AUGMENTED THEATER) - Rodolfo García Vázquez
 


Os Teens

Ainda não sabemos como chamá-los. Por enquanto é Satyros Teens. Adolescentes da rede pública de ensino que estão montando um exercício teatral a partir de suas próprias ideias, com assistência de direção do Tito, outro adolescente.

Já aprendi muito. Amber Case tem razão: chegamos a uma geração cyborg. Onde os corpos já vivem incorporados com novos elementos, principalmente celulares.

 

São mais livres e ousados do que eu jamais imaginei poder ser quando adolescente.Muitos são filhos de porteiros, domésticas, guardas. Temem seus futuros e se acham capazes de tudo.

 Abaixo, frases deles que vão para o programa:

 

A inovação sempre causa riscos, com o projeto aprendemos a arriscar de maneira natural, assim transparecemos em cena nossa própria realidade.

 

Um aspecto essencial do projeto foi não ter receio de sermos quem realmente somos.

 

Indescritível; retratar e aprender encenando!

 

É incrível como pequenos aprendizados são os grandes responsáveis pelo nosso sucesso. Assim relaciono os acontecimentos proporcionados pelo projeto.

 

O projeto foi primordial para pensar e o mudar das minhas atitudes.

 

Guga Paulino, 17 anos

 

Um lugar onde posso dizer coisas que o mundo não escuta, e onde posso fazer algo com o meu cotidiano, algo que a sociedade não quer ver.

 

Tay Martins,15 anos

 

Todos precisamos aprender a respeitas opiniões diferentes.

 

Participar do projeto é uma forma de desabafar e compartilhar com outras pessoas... Representar nossos problemas e experiências.

 

Gabriela Bonotti,15 anos

 

Um lugar para sonhar, criar emocionar e divertir.

 

Liberdade de expressão para  a sociedade.

 

Fabio Domingues, 16 anos

 

Todo o apoio e compreensão que não tenho na sociedade e em casa, eu recebo no teatro.

 

Lucas Impallatory, 16 anos

 

O projeto “Na real” nos ajuda a entender outras realidades e pessoas com personalidades distintas das nossas.

 

O teatro é o lugar que nos faz bem, somos um grupo, somos um só. Aprendemos a confiar nos outros.

 

Mostramos nossa realidade e nossos sentimentos que muitas vezes são reprimidos por sermos jovens.

 

Compartilhamos experiências e aprendemos com as dos outros. Foi nossa inspiração.

 

Fabi Tavares, 16 anos

 

O projeto é composto por jovens que tem experiências de vida diferentes, e que, juntos tentamos colocá-las na peça, como forma de arte.

 

O teatro é além de representar; é uma maneira de tentar entender outra realidade.

 

Diversas realidades se tornam uma só e de uma forma crítica nos faz pensar.

 

Aline Macedo, 16 anos

 

O adolescente tem vários conflitos em si... Na peça podemos ver esses conflitos em diferentes dimensões.

 

O projeto ajuda a nós adolescentes, ajuda a despertarmos diversos personagens que estão dentro de nós.

 

Da vida pessoal a vida social, tudo isso se pode encontrar numa peça de teatro.

 

Liberdade... Temos a liberdade de sermos o que quisermos ou queríamos, em cima do palco.

 

Evolução, aqui no teatro estamos em evolução todos os dias, cada dia nos aperfeiçoamos, aprendemos e vivemos mais!!!

 

Carlos C-King Santos, 17 anos

 

A fase inicial foi mais “curiosa”, porque as pessoas estavam se conhecendo e conhecendo o espaço.

 

Na fase intermediária do projeto já estávamos mais a vontade, mas mesmo assim tínhamos muito a terminar e melhorar.

 

Na fase final, ou nas fases finais, foi a mais legal porque todos nós nos jogamos nas cenas. Nos entregamos de corpo e alma e sinceramente... Muita inspiração e adrenalina nas ultimas horas e nas apresentações, muito bom!

 

Oscar, 18 anos

 

A arte nos tira da arte da rua e ocupa nossas cabeças... Tirando-nos das drogas e do mau caminho.

 

Vitor Berbel, 16 anos

 

 Infelizmente não podemos ser, fazer e falar tudo que falamos, fora daqui, fora do teatro.

 

Guilherme Fernandez, 16 anos

 

Como é ser jovem numa sociedade que oprime o sonho com as tais metas de felicidade?

 

Se formos o reflexo do nosso meio, como tornar fantástico o nosso futuro? Através da visão crítica que arte nos dá, podemos repensar e organizar nossos objetivos e verdadeiros ideais.

 

Rever o cotidiano através da arte é fundamental para que possamos realizar, todos os dias, uma pequena ação transformadora.

 

O caminho dos nossos pais já é deles. O nosso pode ser qualquer coisa.

 

 Aqui enxergo a voz de uma geração, crítica, real, sensível e dialética.

 

Marcio Pellegrini, 19 anos, assistente de direção

 

 

 



Escrito por Rodolfo às 22h46
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]